MARÇO 2018
FELICIDADE: BUSCA OU CONSTRUÇÃO?
Dr. Miguel Lucas
Psicólogo
www.miguellucas.com.br

A escolha de felicidade contínua como uma busca e propósito de vida pode tornar-se no nosso maior pesadelo. Para muitos de nós a vida não é fácil. Porque razão criamos então a noção que devemos ser felizes o tempo todo? Provavelmente você irá responder: “mas claro que eu sei que isso não acontece.” Sendo assim, porque é que a maioria de nós, quando sentimos que estamos a passar por dificuldades, nos sentimos infelizes? Provavelmente, porque ilusoriamente criámos a noção emocional de que deveríamos ser felizes o tempo todo. Esta expectativa cria um sofrimento tremendo.
Ao invés de tentar manter algo de natureza transitória, podemos promover um estado de bem-estar que seja capaz de dar suporte e florescer dentro da volatilidade inerente à vida humana.
Nós devemos ser gratos pelo estado de felicidade quando este se faz sentir, mas querê-lo como um objetivo último para a vida, pode não ser sábio.
Aquilo que tanto procuramos fora de nós, se olharmos mais de perto, se olharmos para dentro de nós, sempre nos acompanhou. Na verdade, aquilo que pode comprovar-se como mais elevado e como mais permanente, e que pode permitir restabelecermos o equilíbrio emocional e resgatar a felicidade, é muito mais um construto do que um sentimento. É uma noção construída de que nós temos a capacidade de não estarmos satisfeitos com algo, com alguém ou com a nossa vida e ainda assim estarmos conscientes que nós não somos o nosso sentimento de infelicidade, mas somos sim, aquele que tem o poder de voltar a resgatar o sentimento de felicidade, sempre que isso se justifique. A felicidade vem a felicidade vai. É fugaz. Não é possível estar feliz o tempo todo. Se fosse, como saberíamos o que é a felicidade? No mínimo precisamos de experimentar estados de não felicidade, de modo que possamos ter um termo de comparação.

Sentirmo-nos bem e mal é natural. É esta realidade que quando assimilada e entendida como condição da vida, pode ajudar-nos a ultrapassar mais rapidamente o impacto negativo que a tristeza possa estar a infligir.

Mas como voltar a sentir-se feliz?
Antes de continuar a sua busca da felicidade, faça a si mesmo algumas perguntas:
1 – Tem algo em particular que tenha acontecido que me deixou triste? Se este for o caso, lembre-se, você é um ser humano e por essa razão sente o impacto da vida no seu ser na forma de sentimentos e emoções. Quando algo é doloroso, sentimos dor. Quando algo faz disparar os nossos sentimentos negativos, isso deixa um registo na nossa mente. É natural. Tal como sentimos dor física, também sentimos dor emocional. Se perceber que o seu estado emocional menos bom é temporário, isso poderá ajudá-lo a ganhar uma perspetiva de futuro mais satisfatória e assim aumentar a sua esperança e força para sair do momento difícil que está a atravessar.
2 – Tenho dormido o suficiente e cuidado de mim mesmo? A falta de sono torna-nos propensos a sermos menos tolerantes às emoções negativas. Se for o seu caso, redobre a sua atenção para a necessidade de regular o seu sono. Reserve igualmente algum tempo para cuidar de si. Tire um tempo para caminhar, para fazer uma massagem, para ler um bom livro, para fazer uma refeição mais cuidada, sair com os amigos. O que você está sentindo agora provavelmente poderá ser aliviado “recarregando as suas baterias”. Estes cuidados não irão resolver de imediato o seu problema, mas irão fazer com que fique com mais força e mais energia para lidar com as situações reais que enfrenta.
3 – Quem sou eu quando me sinto bem e feliz? Pode parecer-lhe estranho fazer esta pergunta quando se sente abatido. Estou certo que sim. No entanto, se conseguir lembrar-se que atitudes, comportamentos e pensamentos guiam a sua vida quando tudo corre bem, irá perceber que você não é a sua tristeza e abatimento. Você é tudo isso, todo esse espectro alargado de emoções e sentimentos positivos e negativos.
Assim sendo, você não é uma pessoa triste, ansiosa ou deprimida, simplesmente está passando por um momento de tristeza, e por isso, em reação sente-se triste.
4 – O que posso fazer para me sentir melhor? Ao começar a envolver-se com a tentativa de responder a esta questão você pode encontrar um obstáculo, que é o facto de sentir-se mal e julgar não conseguir fazer nada devido a isso. Se entendeu a questão anterior (número 3), isso irá permitir separar-se temporariamente da sua dor, e focar-se em algumas ações que no seu retorno possam fazê-lo sentir-se melhor.
Proponho que ao acordar pela manhã faça a seguinte questão: “hoje vou guiar o meu dia pelo sentimento de tristeza que tenho, ou fazer algo para que no final do dia me sinta um pouco melhor?“

Porque é que a maioria de nós, quando sentimos que estamos a passar por dificuldades, nos sentimos infelizes? Provavelmente, porque ilusoriamente criámos a noção emocional de que deveríamos ser felizes o tempo todo. Esta expectativa cria um sofrimento tremendo.


 


seara.com
 
2009 - Farm´cia Caniço
Verified by visa
Saphety
Paypal