JUNHO 2009
ENTREVISTA DUARTE CÂMARA

Duarte Câmara: Um atleta madeirense apaixonado pelo triatlo

O atleta madeirense Duarte Câmara, que é patrocinado pela Farmácia do Caniço, fala das suas experiências desde que começou a praticar triatlo e deixa algumas dicas aos interessados nesta modalidade, que está em franca expansão na Região Autónoma da Madeira.

Há quanto tempo pratica triatlo?
Tenho 33 anos e pratico triatlo desde 2007. Sempre fiz desporto quando era mais jovem, mas fiz um interregno quando fui para a faculdade e depois voltei: pratiquei squash e outros desportos. Em 2004 experimentei o triatlo pela primeira vez, numa prova em Machico, e em 2007 voltei a experimentar já um pouco mais a sério, no triatlo da Ribeira Brava. Fui fazer a prova já com algum treino, coisa que não tinha acontecido aquando da minha primeira experiência em 2004, e o “bichinho” ficou…

Por norma, em quantas provas participa por ano?
À volta de umas dez provas, nomeadamente todas as provas do circuito regional e mais algumas no continente… A época começa sensivelmente em finais de Janeiro, princípios de Fevereiro, com os duatlos, e depois acaba em Outubro, com o campeonato nacional a ser praticamente a última prova. Durante o Inverno, este não é um desporto muito aconselhável devido ao facto da água ser muito fria, embora aqui na Madeira não seja tanto como noutros sítios.

Já participou em alguma prova no estrangeiro?
Ainda não… Estive a pensar este ano em fazer o campeonato da Europa de “Age Groups”, que é para amadores, mas não surgiu a hipótese. Já o ano passado fiz esse mesmo campeonato, porque nessa altura decorreu em Lisboa, e foi muito interessante. É uma prova muito divertida, em que participa muita gente, que além da parte desportiva tem também uma componente lúdica que é importante.

Na Madeira há boas condições para a prática desta modalidade?
Sem dúvida. Temos boas piscinas, sempre que podemos vamos para o mar… Temos também algumas pistas para complementar a estrada no que respeita à parte de atletismo. A nível de ciclismo, temos a parte de estrada, que por vezes se torna complicada, devido à chuva e ao facto de existirem muitos automobilistas que ainda não estão sensibilizados para as bicicletas na estrada, embora já se estejam a ver melhorias nesse aspecto.

Em termos de equipamentos, é preciso fazer um investimento muito grande?
Quem quer começar, consegue fazer uma prova com equipamento relativamente barato. Se formos a pensar nos equipamentos topo de gama, claro que já será bastante mais caro. Mas para começar, um fato isotérmico, para a água fria, umas sapatilhas, um capacete, uma bicicleta são tudo o necessário para fazer uma prova de triatlo. Muita gente já tem uma bicicleta em casa, ou conhece alguém quer tem uma para emprestar, no caso de querer fazer uma experiência para ver se gosta da modalidade. Em todas as provas do circuito regional temos as chamadas “provas abertas”, que qualquer pessoa pode experimentar.

Para as pessoas que não conhecem a modalidade, pode-nos dizer em que consiste uma prova?
Uma prova de triatlo é composta por três segmentos, que são a natação, o ciclismo e o atletismo. Existem vários tipos de triatlo: temos o triatlo “super sprint”, que tem a distância mais curta: 375 metros em natação, 10 km em bicicleta e 2,5km de corrida. Depois temos o “sprint”, que consiste numa prova com 750 metros em natação, 20 km em bicicleta e 5km de corrida; o triatlo “standard”, que é a distância Olímpica, em que a parte de natação tem 1.500 metros, seguidos de 40km em bicicleta e 10 km a correr. E temos ainda as distâncias mais longas que são os chamados “Iron Man” e Meio “Iron Man”, que já são provas para perto das 4 horas no caso da distância mais curta e das 8 horas no caso da mais longa. Mas claro, estas provas já serão apenas para atletas de topo.

Quais são as próximas provas em que planeia participar?
Depois do triatlo do Funchal*, participarei em todas provas do campeonato regional e também nas restantes provas do campeonato nacional, já que o meu objectivo para este ano é estar na final, que este ano se realiza no Estoril, e conseguir ficar entre os 80 primeiros.

Quais a próximas provas que se disputarão na Madeira?
Em Julho haverá uma prova de triatlo no Porto Moniz. No mesmo mês vamos ter um aquatlo, que é composto por natação e atletismo, na Calheta e depois vai haver um outro triatlo em Machico no mês de Setembro.

Esta modalidade está a gerar interesse entre os jovens?
Sim, começa a haver bastante mais interesse. No final de Abril, houve um triatlo “super srint” na Ribeira Brava, em que foi permitido aos juvenis competir ao mesmo tempo que os atletas de faixas etárias superiores e já se notou por parte desses jovens uma qualidade bastante apreciável.

Acha que o facto de termos em Portugal uma campeã como a Vanessa Fernandes está a chamar mais gente para a modalidade?
A Vanessa Fernandes é muito justamente um fenómeno de popularidade. Claro que termos uma atleta assim chama mais atenção para a modalidade. E depois, temos uma Federação que está a trabalhar bem e a apostar nos jovens. Temos muitos jovens que participam em campeonatos da Europa e do Mundo e que trazem títulos para Portugal. Talvez não tenham tanta visibilidade como a Vanessa, mas são também atletas de alto nível. Temos, por exemplo, o Bruno Pais, que também é atleta Olímpico e que costuma estar sempre entre os 16 melhores em provas da Taça do Mundo.

Que conselhos daria às pessoas interessadas em praticar a modalidade?
Antes de tudo o mais, que façam um exame médico para ver se estão em condições para realizar exercício físico intenso. Depois, devem começar por experimentar, e se decidirem continuar, será preciso treinar muito e gostar daquilo que estão a fazer.

Quantas horas de treino faz por semana?
Estou um pouco limitado em termos profissionais e familiares: por vezes torna-se difícil conciliar tudo. Faço 3 horas de natação por semana, umas 4 horas de atletismo e mais umas 5 horas de ciclismo. Tento planificar os meus treinos para coincidir com o meu objectivo de participar nas provas do campeonato nacional, ou seja, entro nas restantes provas para treinar. Mais ou menos uma semana antes de cada prova, baixo as cargas de treinos, para descansar um pouco, uma vez que depois haverá mais desgaste. Nesses momentos, convém fazer treinos mais intensos, mas mais curtos.

Tem um blog acerca do triatlo. Fale-nos um pouco desse projecto…
É essencialmente um blog em que falo das minhas semanas de treinos e das minhas experiências, das competições em que entro, das provas que estão para acontecer. Também tem algumas curiosidades acerca do triatlo a nível regional e nacional. O endereço é http://pensakfaztriatlo.blogspot.com.

*Neste triatlo, cujas fotos apresentamos, Duarte Câmara alcançou o 28º lugar absoluto masculino, 11º madeirense, com a marca de 2h26m01.


 


seara.com
 
2009 - Farm´cia Caniço
Verified by visa
Saphety
Paypal